Cinema Juventude
Um programa de educação para o Cinema

Este projeto pretende desenvolver e implementar estratégias inovadoras no sentido de levar as crianças e os jovens a descobrir, a conhecer e a viver o cinema.

Entendemos que a cultura cinematográfica pode estimular novas experiências envolvendo as diferentes áreas do conhecimento no âmbito das atividades escolares, promovendo assim uma cultura visual no sentido da fruição estética e simultaneamente da pedagogia da imagem em todo o processo de aprendizagem.

Por outro lado, entendendo o cinema enquanto instância estética e simbólica, pensamos indispensável também estimular uma abordagem no plano ético por via da formulação sistemática de questões relacionadas com a ética no âmbito das imagens cinematográficas e outras narrativas visuais.

Por via de uma metodologia com base na experimentação, desenvolvemos formas pedagógicas direcionadas para a apreensão da linguagem e matéria cinematográficas, bem como da formação de uma capacidade crítica, privilegiando uma abordagem ao cinema através do ver e do fazer.

Desta forma, a proposta compreende distintas atividades complementares e transversais que passam por Oficinas de curta e longa duração, um ambicioso programa de Projeções/Conversa, um Cineclube de Jovens Programadores, uma Residência de Criação Artística e um Seminário de formação de professores.

As atividades desenvolvem‐se ao longo do ano letivo, maioritariamente no próprio espaço escolar ou adjacente e são orientadas por formadores/cineastas, que tem ao seu dispor equipamentos tecnológicos de som, imagem e edição profissionais, com todas as atividades assistidas por professores dos próprios agrupamentos escolares, para os quais disponibilizamos formação adequada no âmbito deste projeto.

Para o desenvolvimento deste projeto constituímos uma equipa de formadores profissionais, especializados e experimentados, titulada pelo realizador Manuel Mozos, que tem trabalhado nos últimos anos na implementação e desenvolvimento de projetos de promoção e divulgação cinematográfica que a Luzlinar também promove e desenvolve nos últimos quinze anos em todos os outros domínios artísticos.

São parceiros fundamentais deste programa integrado a Cinemateca Portuguesa e a Universidade da Beira Interior.

– Cinemateca abre as portas dos seus arquivos e cede cópias dos filmes no seu formato original, dando-nos assim a possibilidade de oferecer projeções em condições excecionais.
– A Universidade desenvolve processos de pesquisa com vista à elaboração de materiais pedagógicos para utilização nas diferentes Oficinas, na formação de professores e na aferição dos objetivos pedagógicos do programa.

Trata-se pois de um projeto transversal e inserido numa vasta região do interior profundo, predominantemente rural, em processo de desertificação e com indicadores de desenvolvimento humano muito desfavoráveis. Pretende-se assim contribuir para a inversão desta situação, através da realização deste programa de atividades, que percorre diferentes concelhos, num trabalho em articulação com a Comunidade, a Escola e a Universidade na descoberta, no desenvolvimento do conhecimento e promoção da cultura cinematográfica.

Este projeto tem sido determinante na promoção da cultura artística em geral onde ela se encontra mais parca, onde integramos crianças e jovens num universo novo e altamente qualificado que só a persistência na promoção de projetos desta dimensão podem propiciar.

O Projecto

Na estruturação deste projeto, propomos uma tipologia consistente, diversificada e complementar, no sentido de conquistar o interesse do maior número de crianças e jovens em períodos diferentes e abordagens inovadoras. As atividades desenvolvem‐se ao longo do ano letivo no próprio espaço escolar, são orientadas por um cineasta e acompanhadas por professores:

Realizar filmar – Oficinas de longa duração que visam abordar o cinema através do ver e do fazer, desenvolvendo formas pedagógicas direcionadas para a apreensão da linguagem e matéria cinematográficas por via de uma metodologia baseada na experimentação. A visibilidade do trabalho realizado ao longo da atividade adquire valor no próprio processo pedagógico, que antecede a realização coletiva de um filme‐ensaio.

 

Duração: 20 sessões

Sessão 1
Apresentação. Visionamento de alguns Planos dos Irmãos Lumière. Conversa sobre os elementos visualizados.

Sessão 2
Debate de ideias sobre os planos Lumière que vão ser filmados. Primeiro contacto com o material técnico por parte dos participantes.

Sessão 3
Filmagem individual/grupo de um plano Lumière.

Sessão 4
Visualização e conversa sobre os planos Lumière filmados.
Visualização de filme sobre a temática a trabalhar. Conversa sobre o filme.

Sessão 5
Preparação do segundo exercício.

Sessão 6
Visualização de filme sobre a temática a trabalhar. Conversa sobre o filme.
Continuação da preparação do segundo exercício.

Sessão 7
Início da filmagem do segundo exercício.

Sessão 8
Continuação e finalização da filmagem do segundo exercício.

Sessão 9
Visualização e conversa sobre o exercício filmado.

Sessão 10
Visualização de filme sobre a temática a trabalhar. Conversa sobre o filme.

Sessão 11
Início da preparação do filme ensaio.

Sessão 12
Escrita individual de ideias/histórias para o filme ensaio.
Trabalho em grupo para criação de situações/histórias para o filme ensaio.

Sessão 13
Escrita do guião do filme ensaio.

Sessão 14
Guião técnico.
Repérage (ir a possíveis locais para filmar o filme ensaio).

Sessão 15
Visualização de filme sobre a temática a trabalhar. Conversa sobre o filme.

Sessão 16
Preparação das filmagens – planificação; guarda-roupa; adereços; entre outros.

Sessão 17
Início da filmagem do filme ensaio.

Sessão 18
Continuação e finalização da filmagem do filme ensaio.

Sessão 19
Início da Montagem de imagem e som.

Sessão 20
Visualização do filme ensaio e balanço final.

 

Singularidade
– Metodologia baseada na experimentação e numa pedagogia direcionada para a apreensão da linguagem privilegiando uma abordagem através do ver e do fazer;
– Desenvolvimento de uma cultura visual no sentido da fruição estética e da pedagogia da imagem no processo de aprendizagem do cinema enquanto instância estética e simbólica;
– Formulação sistemática de questões relacionadas com a ética no âmbito das imagens cinematográficas e das diferentes narrativas visuais;
– Complementaridade e transversalidade do conjunto das atividades que compõem o programa em toda a amplitude dos seus aspetos.

 

Objectivos do Projecto
– Implementação desta proposta pedagógica com particular destaque para os aspetos singulares referidos no ponto anterior.
– Promover a cultura cinematográfica estimulando novas experiências envolvendo as diferentes áreas do conhecimento no âmbito das atividades escolares, difundindo assim uma cultura visual no sentido da fruição estética e simultaneamente da pedagogia da imagem em todo o processo de aprendizagem.
– Dotar os docentes com conhecimentos básicos da linguagem cinematográfica, bem de ferramentas pedagógicas e propostas de exercícios de forma a estimular a utilização do cinema como instrumento de ensino.
– Concretização deste ambicioso programa de atividades em quatro agrupamentos escolares inseridos em diferentes concelhos da Beira Interior.

 

Público-alvo
O Público-alvo deste programa é constituído pelo universo de Crianças e Jovens dentro e fora do âmbito escolar, ao longo do eixo geográfico circunscrito pela Beira Interior, com incidência nos Municípios que manifestaram interesse no projecto.

Fundão

Vila Franca das Naves

 

Fundão

Rosel

O Cinema Juventude no quotidiano da Comuna

O Beco

 

Belmonte

Sonho Fantástico

Os três Porquinhos

Uma noite no Museu

Fundão

Dual

Paisagens

amélia

Vila Franca das Naves

Perguntas à Floresta

Fundão

Linha

 

Buraco Negro
camera obscura





























Fundão

Pollen